Blog /

Análise técnica: como começar a investir na bolsa?

Como saber se os meus investimentos vão render? E se o meu dinheiro sumir? Como correr menos riscos? Todas essas dúvidas estão na cabeça do investidor. Mas a análise técnica de ações está aí para ajudá-lo a mitigar os riscos e aproveitar boas oportunidades na bolsa..

Quem ganha dinheiro na bolsa de valores precisa se dedicar a analisar preços, tendências e movimentos do mercado financeiro para identificar as melhores oportunidades. A análise técnica, então, é o estudo que analisa esses dados e ajuda a tomar melhores decisões de compra e venda de ações a fim de alcançar os melhores rendimentos.

E você, tem interesse em investir na bolsa? Então, acompanhe agora o nosso guia sobre análise técnica, com tudo o que você precisa para começar a investir na bolsa e ganhar dinheiro com ações. Acompanhe os tópicos:

  • O que é análise técnica?
  • Análise técnica do mercado financeiro: primeiros passos para se tornar um trader
  • Análise técnica e os tipos de gráficos de ações: como usar
  • Análise técnica e os padrões gráficos: figuras de continuidade e reversão
  • Como saber se a ação vai subir ou descer? Entenda os indicadores da análise técnica
  • Qual é o melhor curso para aprender análise técnica?
  • Quais são os melhores livros para aprender análise técnica?
  • Corretoras de investimento: qual é a melhor corretora para investir em ações?
  • Analise Técnica Bitcoin: como funciona a análise técnica de criptomoedas
  • Conclusão
  • FAQ

O que é análise técnica?

Análise técnica é um tipo de estudo do mercado de renda variável para maximizar os rendimentos em compra e venda de ativos. Ela indica qual é o cenário mais provável para o preço de uma ação, principalmente em operações de curto prazo.

A análise técnica também é chamada de análise gráfica, já que os gráficos de ações traduzem o comportamento de oferta e demanda do mercado financeiro e sua influência na formação dos preços.

Basicamente funciona assim: se há muito mais compradores que vendedores de uma ação, a demanda por ela aumenta. Assim, a tendência é que o preço suba, e esse aumento pode representar uma boa oportunidade de ganhos com a alta daquela ação.

O contrário também vale: se há muitos vendedores e poucos compradores, a oferta aumenta, e o preço da ação baixa.

Portanto, a análise técnica se baseia na premissa de que o preço de uma ação reflete a interação entre seus compradores e vendedores.

Para que serve uma análise técnica?

A análise técnica serve para te ajudar a tomar melhores decisões de compra e venda de ações, e a mitigar o risco no mercado de renda variável.

Por meio da análise gráfica dos movimentos do mercado financeiro, os investidores conseguem identificar padrões de tendências de um ativo e perceber as melhores oportunidades e os melhores momentos para comprar e vender as ações.

É importante esclarecer aqui que a análise técnica não determina com certeza se uma ação vai subir ou descer. Seu papel é trazer informações e embasar o investidor nessas operações, a fim de minimizar os riscos e aumentar os ganhos na bolsa de valores.

A análise técnica te ajuda a encontrar melhores relações de risco-retorno, ajudando a enxergar os possíveis cenários a partir do comportamento dos preços de cada ação. Mais a frente, vamos explicar como isso funciona.

Origem da análise técnica: Teoria de Dow

A análise técnica tem origem na Teoria de Dow, elaborada por Charles Henry Dow no século 19. A teoria levanta alguns princípios sobre grandes movimentos do mercado financeiro. Dow dizia que o mercado se move em tendências, que seriam as seguintes:

  • A tendência primária (“maré”) é o movimento mais longo, que pode durar meses ou anos;
  • A tendência secundária (“ondas”) reflete a reação ou correção ao movimento anterior e segue a tendência primária ao longo do tempo;
  • A tendência terciária (“marolas”) são movimentos menores de reação que acontecem entre as tendências secundárias.

Isso quer dizer que, mesmo que uma ação suba hoje, ela pode estar em queda há meses, por exemplo. Esse entendimento é essencial no mercado de ações, para que o investidor não seja influenciado por flutuações diárias.

Para Dow, a tendência primária é a principal. Ela é composta por três fases:

  • 1. A fase cumulativa atrai os investidores mais bem preparados e geralmente é a melhor fase para comprar um ativo;
  • 2. A segunda fase é a participação pública, quando os investidores que seguem tendências compram o ativo;
  • 3. A terceira fase é a distribuição, quando o volume de operações aumenta bastante e os investidores da primeira fase começam a se desfazer das suas posições e embolsar o lucro.

Existem ainda outros princípios na teoria que embasam a análise técnica. Você pode perceber que, embora tenham sido elaborados há muito tempo, eles se aplicam ao mercado atual e norteiam a análise gráfica até hoje.

Como fazer análise técnica?

Análise técnica requer estudo. Se você olhar para os gráficos de ações sem qualquer embasamento, não vai entender o que os dados querem dizer nem vai saber o que fazer com eles.

Portanto, o primeiro passo é conhecer os principais conceitos, padrões gráficos e indicadores técnicos. Assim você vai saber ler os dados, entender o que eles dizem e como tomar melhores decisões a partir dessa leitura.

Além disso, é importante também conhecer o seu perfil de investidor. Quem prefere operações de longo prazo, por exemplo, deve fazer análises com periodicidade maior, como em gráficos diários ou semanais. Já o day trade exige análises mais curtas, pois as operações são abertas e fechadas no mesmo dia.

A partir daí, você já pode começar a analisar os gráficos de ações e extrair informações deles. Eles são disponibilizados em tempo real pelas corretoras para que você tome melhores decisões nos seus investimentos.

O mais importante, então, é identificar as tendências. Depois disso, é preciso detectar se o gráfico sugere continuidade do movimento ou a reversão da tendência, para que você compre e venda a ação no momento certo. Nessa análise, é importante usar mais de um indicador para tomar uma decisão mais segura.

Agora, vamos ajudar você a dar os primeiros passos na análise técnica do mercado de renda variável, desde os principais conceitos até os melhores cursos para aprender sobre o assunto.

Análise técnica do mercado financeiro: primeiros passos para se tornar um trader

A análise técnica é uma das ferramentas mais utilizadas pelos traders, que são as pessoas que compram e vendem ações na bolsa de valores, geralmente com operações de curto prazo.

Quem se dedica neste setor, pode até viver disso como um profissional que faz home office, já que as operações envolvem riscos e exigem dedicação diária.

Nos últimos tempos, também se tornou uma tendência vender curso online de análise técnica para formar novos traders.

Trader: por que usam análise técnica?

O lema do trader é comprar barato e vender caro. O problema é que não há como garantir que o preço de uma ação vai subir ou descer. Afinal, as oscilações de preço são influenciadas por movimentos do mercado que, por sua vez, são determinados por decisões humanas.

O que a análise técnica faz é tentar identificar os padrões e tendências de comportamento dos compradores e vendedores, que indicam o caminho mais provável dos preços das ações.

Dessa maneira, a análise técnica traz informações para o trader tomar decisões mais precisas sobre a compra e a venda de ativos, com menos riscos de perdas e mais chances de ganhos.

Análise Técnica x Análise Fundamentalista: qual a diferença?

A análise técnica não é a única forma de tomada de decisão no mercado. Alguns investidores preferem realizar uma análise em cima dos números financeiros da empresa.

Em geral, a análise técnica ou gráfica é a mais usada entre os traders, já que permite enxergar as tendências em períodos menores. Mas também existe a análise fundamentalista, que é mais usada por investidores que esperam ganhar com a valorização de uma empresa no longo prazo.

Enquanto a análise técnica faz um estudo dos movimentos de oferta e demanda do mercado, a análise fundamentalista consiste em estudar a saúde financeira das empresas e seus ativos, por meio de balanços, demonstrativos e indicadores de negócio.

Day trade x swing trade: qual é o seu perfil de investidor?

Existem diferentes perfis de investidor. Se você quer ser um deles, é importante perceber com qual você se identifica.

Entre os principais, estão o day trader e o swing trader. Day trade se refere às operações que abrem e fecham no mesmo dia. Já o swing trade envolve operações que podem durar, em média, uma semana.

Essa diferença entre os períodos das operações determina o tipo de gráfico que o trader vai analisar e o nível de dedicação diária que o perfil exige. O day trader analisa, por exemplo, gráficos de ações que são praticamente em tempo real, dentro de um período de 1 a 15 minutos, em busca de pequenas oscilações nos preços. Já o swing trader trabalha com gráficos de 1h a 1 dia, em busca de variações maiores nos preços.

Além do day trade e do swing trade, existem outros perfis de investidor, como o scalper (operações de curtíssimo prazo que duram segundos) e o position trader (operações que duram pelo menos um mês).

Análise técnica e os tipos de gráficos de ações: como usar

Os gráficos de ações são a base da análise técnica. Eles trazem um panorama do que acontece com o preço de um ativo na bolsa em determinado período e refletem os comportamentos de oferta e procura dos traders.

De maneira geral, o eixo vertical informa os preços, enquanto o eixo horizontal traz o tempo. Agora você vai conhecer os tipos de gráfico que podem ser usados:

Gráficos em linha

Os gráficos em linha são os mais simples para a análise técnica. A linha representa os preços de fechamento de determinado período, ou seja, quanto ele valia quando encerraram as negociações. Em um gráfico de linha de periodicidade diária, por exemplo, a linha consolida os preços de fechamento da ação durante um dia.

Fonte da imagem: Rico

Gráficos em barras

O gráfico em barras é mais completo, já que considera o preço de fechamento, mas também o de abertura, o mínimo e o máximo do período. A barra vertical representa os preços mínimo e máximo, enquanto as barras horizontais representam o preço de abertura (à esquerda) e o de fechamento (à direita).

Fonte da imagem: Rico

Gráficos de candlesticks

Os gráficos de candlesticks também são mais completos e representam os preços de fechamento, abertura, mínimo e máximo, de maneira ainda mais didática. É um dos tipos de gráfico de ações mais usados na análise técnica. O nome se deve à semelhança do símbolo usado no gráfico com uma vela e um pavio (candlestick significa castiçal).

Candles

Candles representam as movimentações de preço de uma ação em determinado período nesse tipo de gráfico. O candle pode representar o período de um dia de negociação, por exemplo, com os preços de abertura, fechamento, mínimo e máximo daquele dia.

Nessa representação, os “pavios” da vela, também chamados de sombras, representam os preços máximo (superior) e mínimo (inferior) do período. Já a “vela” representa os preços de abertura e fechamento, que podem estar no topo ou na base, dependendo se a ação fechou em alta ou em baixa. A vela ainda pode ser pode ser alongada conforme a diferença entre esses valores e pintada de verde/branco (alta) ou vermelho/preto (baixa).

Fonte da imagem: Rico

Tipos de Candle

Os candles podem ser de alta ou de baixa. Nos candles de alta, o preço de fechamento (que fica no topo da vela) supera o preço de abertura (que fica na base). Além disso, a vela é pintada de verde ou branco.

Já nos candles de baixa, o preço de abertura supera o preço de fechamento. Então, é o preço de abertura que fica em cima, e a vela é pintada de vermelho ou preto.

Assim, o analista tem uma representação visual clara da situação do ativo durante aquele período e consegue identificar mais facilmente as tendências de preço.

Candle de reversão

Os candles de reversão são aqueles que indicam a tendência de uma ação que estava caindo voltar a subir (reversão para alta), ou de uma ação que estava subindo voltar a cair (reversão para baixa). Mas como identificar essa tendência de reversão no gráfico?

No candle de reversão para alta, a sombra (ou pavio) inferior é mais alongada. Isso significa que o preço mínimo da ação no período tem uma diferença grande em relação ao preço de fechamento. Portanto, a ação conseguiu se valorizar muito no período e sugere iniciar uma tendência de alta.

Já o candle de reversão para a baixa é o contrário: ele tem uma sombra superior mais alongada, o que mostra uma diferença grande entre o preço máximo e o preço de abertura. Isso mostra que, depois de uma máxima de preços, a ação de desvalorizou bastante e tende a iniciar uma queda.

O mercado de ações é dinâmico. Portanto, essas mudanças de trajetória são comuns e devem ser compreendidas pelos traders para que não se assustem. Então, eles devem analisar as reversões para identificar o momento certo de agir.

Análise técnica e os padrões gráficos: figuras de continuidade e reversão

Vamos avançar um pouco mais na análise gráfica? Agora, você vai saber como usar padrões gráficos para identificar tendências sobre os preços da ação. As figuras podem representar movimentos de continuidade ou de reversão do preço.

Figuras de continuidade

As figuras de continuidade demonstram a consolidação do preço por um período. Após esse período, há maiores chances de o preço seguir a tendência anterior a esse padrão. As figuras identificadas no gráfico de ações podem ser:

  • Retângulo;
  • Triângulo simétrico;
  • Bandeira;
  • Flâmula.

Se a figura de um retângulo ocorre em uma tendência de baixa, por exemplo, é provável que a ação continue em desvalorização após esse período.

Fonte da imagem: Bússola do Investidor

Figuras de reversão

Já as figuras de reversão demonstram a reversão da tendência de preço. Ou seja, mostram que uma ação cujos preços estavam subindo tende a cair, ou o contrário. As principais figuras de reversão são as seguintes:

  • Ombro-cabeça-ombro;
  • Ombro-cabeça-ombro invertido;
  • Topo duplo;
  • Fundo duplo.

Se uma figura de ombro-cabeça-ombro ocorre em uma tendência de alta, significa que os preços da ação tem grande chance de começar a cair. Como mostra a figura abaixo: a subir.

Fonte: Bússola do Investidor

Como saber se a ação vai subir ou descer? Entenda os indicadores da análise técnica

Você já está percebendo como a leitura correta dos gráficos de análise técnica podem ajudar a prever tendências? Agora, então, vamos mostrar a você como identificar se a ação tende a subir ou descer no futuro próximo — o que é uma informação essencial para tomar decisões no mercado financeiro.

Topos e Fundos

Topos e fundos representam os pontos extremos do gráfico de ações. O topo representa o ponto mais alto de uma tendência de alta, que antecede um movimento de baixa. Já o fundo representa o preço mínimo, ou seja, o ponto mais baixo de uma tendência de baixa, que antecede um movimento de alta.

Identificar esses pontos no gráfico ajuda a entender a tendência primária de uma ação. Em uma tendência de alta, por exemplo, o gráfico vai formar topos e fundos consecutivos em patamares cada vez mais altos.

Suporte e Resistência

Uma sequência de topos forma uma região de resistência, ou seja, uma dificuldade de o preço continuar subindo. Enquanto isso, uma série de fundos forma uma região de suporte no gráfico de ações, que representa a dificuldade de o preço continuar caindo. Você pode perceber essas regiões quando conseguir traçar uma linha reta no topo (resistência) ou no fundo (suporte) do gráfico de ações.

Quando o preço não passa desses patamares, a tendência é reverter: a formação de uma resistência, indica que o preço da ação tende a baixar, e a formação de um suporte, indica que o preço tende a subir.

Fonte: Bússola do Investidor

Linhas de Tendência

As linhas de tendência são as linhas do gráfico que permitem visualizar se a tendência primária da ação é subir ou descer. Essas linhas são traçadas no gráfico de ações conectando os topos ou os fundos, de maneira que você perceba se elas são ascendentes ou descendentes.

Linha de Tendência de Alta (Bullish)

A Linha de Tendência de Alta ou LTA identifica uma tendência de subida do preço da ação. Isso acontece quando os investidores estão mais dispostos a comprar, e a demanda pela ação aumenta.

Assim, a linha traça um caminho ascendente, com topos e fundos crescendo consecutivamente. Com esse indicador, você pode identificar o momento certo de comprar uma ação antes que ela suba ainda mais, ou de vender a ação antes que ela comece a cair..

A LTA também é chamada de Bullish, em analogia a um touro (bull, em inglês), que ataca de baixo para cima.

Linha de Tendência de Baixa (Bearish)

A Linha de Tendência de Baixa ou LTB indica a tendência de queda do preço, que acontece quando há muitos vendedores no mercado, ou seja, há mais oferta que demanda.

Dessa forma, a linha segue um caminho descendente, com topos e fundos consecutivos em queda. Esse indicador pode ser útil para vender uma ação antes que ela perca ainda mais o seu valor.

A LTB, por sua vez, é chamada de Bearish, em analogia a um urso (bear, em inglês), que ataca de cima para baixo.

Índice de Força Relativa

Em analogia a uma guerra, o Índice de Força Relativa (IFR) demonstra o momento em que, depois de dias vencendo e avançando sem parar, o exército faz um recuo para descansar e reabastecer. No mercado financeiro, o IFR mostra o momento em que a ação está ganhando um fôlego antes de continuar sua tendência primária.

Esse indicador é uma linha que varia de 0 a 100. Quando o valor chega a 95, por exemplo, significa que os compradores precisam parar um pouco e retomar o fôlego para continuar empurrando os preços para cima. Nesse momento, chamado de sobrecompra, o IFR indica que deve haver uma queda no preço no curto prazo, antes de voltar a subir.

A mesma lógica vale para o oposto. Quando o valor chega a 5, os vendedores dão uma pausa antes de continuar empurrando o preço para baixo. Nesse momento, chamado de sobrevenda, o IFR indica que a ação que estava em queda deve subir rapidamente, para voltar a cair posteriormente.

Bandas de Bollinger

As Bandas de Bollinger são um indicador de volatilidade e ajudam a entender o que esperar da oscilação do preço de uma ação.

Embora muitas pessoas pensem que as ações da bolsa de valores variem de forma descontrolada, é importante saber que elas variam dentro de um limite — e é esse limite que as Bandas de Bollinger identificam. Elas mostram a faixa de preço em que a ação costuma variar. Assim, quando a ação sobe ou desce muito além dessa faixa, você sabe que logo o preço deve voltar para a média.

Esse indicador é formado por duas linhas no gráfico, uma inferior e outra superior, que mostram respectivamente qual é o preço máximo e mínimo que a ação costuma registrar.

Fonte: Toro Investimentos

Média móvel

A média móvel é uma linha no gráfico de ações que demonstra a média dos preços de uma ação de acordo com períodos passados. As médias são chamadas de móveis porque, a cada novo período, o valor mais recente entra no cálculo, enquanto o mais antigo sai. Assim, a linha se movimenta a cada novo dado recebido.

É um dos indicadores de tendência mais simples da análise técnica, mas também um dos mais usados. Sua simplicidade facilita a visualização do comportamento do preço de um ativo, já que suaviza as oscilações e retira os ruídos.

Gaps

Gaps são intervalos ou saltos entre dois candles no gráfico da análise técnica. Esse espaço vazio representa a ausência de negociação, ou seja, quando não há interesse de compradores e vendedores negociarem uma ação em determinada faixa de preço.

Geralmente os gaps ocorrem entre o fechamento do mercado em um dia e a abertura no dia seguinte, mas também podem ocorrer durante o pregão. Eles podem ser provocados por alguma notícia ou decisão governamental, por exemplo, que afetam o comportamento dos traders e o preço do ativo.

Em geral, esses gaps serão sempre fechados. Mas é importante ficar de olho nesses pontos do gráfico de ações, pois eles indicam a intensidade do movimento dos preços ou uma possível reversão de tendência, dependendo do tipo de gap.

Stops

Stops não são indicadores, mas devem estar presentes em toda estratégia de análise gráfica, pois protegem o capital do trader. Esta é uma forma de gestão de riscos, especialmente para quem opera no curto prazo.

As ordens de stop devem ser colocadas previamente para que sejam disparadas automaticamente quando se atinge um determinado patamar de preço, retirando o fator psicológico das operações de compra e venda de ações.

No stop de perda, o investidor define um valor máximo de perda tolerada — assim, quando a ação atingir aquele preço, ele sai da operação automaticamente.

Já no stop de ganho, o investidor define um objetivo de ganho — então, quando uma venda alcançar esse valor, ele também sai da operação automaticamente e evita perdas.

Qual o melhor indicador para compra de ação?

Essa é uma questão presente entre os traders e a resposta é bem simples: não existe um indicador que seja melhor do que o outro. Aliás, não é nem correto dizer que um é mais importante do que o outro.

Indicadores devem ser usados para auxiliar a sua tomada de decisão ao montar estratégias e, muitas vezes, devem ser combinados. Há traders experientes no mercado que usam, por exemplo, Linhas de Tendências, Média Móvel e o Índice de Força Relativa para fazer suas análises.

Outros, já preferem usar as Bandas de Bollinger e as Médias Móveis. Ou seja, à medida que começar a fazer suas análises, é importante entender qual indicador faz mais sentido para atingir o seu objetivo e sua eventual exposição ao risco.

Uma coisa é certa: análises fundamentadas em bons indicadores/ permitem ótimos resultados e lucros.

Qual é o melhor curso para aprender análise técnica?

Trabalhar com ações exige conhecimento. Muita gente se deslumbra com as possibilidades de ganhos, mas se esquece de todos os riscos envolvidos e pode acabar perdendo bastante dinheiro...

Então, não pense que a análise técnica é um processo fácil: ela requer estudo e experiência para fazer as leituras corretas. Por isso, fazer um curso de análise técnica de ações é o melhor caminho para aprender sobre todos os conceitos, indicadores e gráficos.

A seguir, indicamos os melhores cursos online de análise técnica para você aprender a dar os primeiros passos. Confira:

Análise Técnica – Do básico ao avançado

Quer começar a fazer análises técnicas, mas ainda não sabe nada? Este curso ensina do básico ao avançado para você dar os primeiros passos e se tornar um trader profissional. O único requisito é já saber comprar e vender ações na bolsa de valores. O curso inclui exercícios em cada módulo de aprendizado e ainda aulas práticas de day trade e swing trade.

Daytrade – Analise Técnica

Esse curso é específico para quem se interessou pelo perfil de day trader, ou seja, para fazer operações diárias na bolsa de valores. As aulas contemplam quase 3h de conteúdos que vão desde a Teoria de Dow até operações práticas na bolsa.

Análise Técnica – Guia Essencial (Análise Gráfica)

Este curso — básico, direto e sem enrolação — traz os conteúdos essenciais para começar a fazer análises técnicas e ter sucesso no mercado de ações. Fernando Yuchi, instrutor do curso, é trader desde 2007, responsável pelas análises no portal RadarBolsa.com e Gestor na EWAX Capital.

Curso de Análise Técnica para Bolsa de Valores

Ana Carolina Paiffer é presidente da ATOM S/A e está há 11 anos no mercado financeiro. Neste curso, ela ensina a operar day trade usando análise gráfica. O curso não exige qualquer conhecimento sobre mercado financeiro: você vai aprender do zero e se tornar um trader profissional.

Mercado de Ações - Análise Técnica para Comprar Ações

Este curso é focado no mercado americano: abrange somente operações da Bolsa de Nova Iorque e ações de empresas listadas na Nasdaq, NYSE e Dow Jones. Não exige qualquer requisito, apenas um computador e vontade de aprender, mas é interessante já ter algum conhecimento no mercado de ações.

Analise Técnica e Inteligência Artificial para Investimentos

Fernando Amaral trabalha há mais de 10 anos com inteligência artificial e ciência de dados. Neste curso, ensina a aplicar técnicas e conceitos de inteligência artificial na análise técnica para tomar melhores decisões de trading. O curso já tem mais de 1.200 alunos inscritos e é um dos mais bem cotados, com nota 4.3 na Udemy. Exige conhecimento em lógica de programação como requisito.

Análise Técnica - Opere como um profissional do mercado

Com quase 1.000 alunos inscritos, este curso aborda desde a teoria da análise técnica até a prática dos gráficos de ações e as operações. É um curso básico e dinâmico, com exemplos reais de aplicações dos indicadores em ativos financeiros.

Quais são os melhores livros para aprender análise técnica?

Além de fazer cursos de análise técnica, você também pode aprender com autores do mercado financeiro. Eles escrevem sobre o bê-á-bá da análise técnica e trazem dicas valiosas para quem quer começar a investir em ações. Veja agora as nossas dicas de livros:

Análise Técnica Para Leigos

Barbara Rockefeller, economista americana e especialista no mercado financeiro, apresenta um guia prático para começar a trabalhar com análise técnica. O livro faz parte da coleção “Para Leigos” (ou “For Dummies”), que trabalha vários conceitos para iniciantes. Você pode obter esse livro em versão impressa ou e-book. Aqui é possível ler uma prévia do livro .

Análise Técnica Explicada

Este livro se tornou uma bíblia da análise técnica para os traders. O autor, Martin J. Pring, é um conhecido líder na comunidade global de investimentos e pioneiro em educação nessa área. O livro é mais caro que os outros que indicamos aqui, mas vale a pena, principalmente para quem quer se aprofundar um pouco mais. Importante: só está disponível na versão impressa.

Manual de Análise Técnica: Essência e estratégias avançadas

Marcos Abe é um trader brasileiro e um estudioso em investimentos. Neste livro, apresenta um manual de análise técnica para iniciantes, com os conceitos básicos, exemplos práticos e as melhores estratégias para ganhar dinheiro com ações. Está disponível nas versões impressa e digital. Aqui você pode ler uma prévia do livro .

Corretoras de investimento: qual é a melhor corretora para investir em ações?

Então, gostou de saber sobre a análise técnica e quer logo começar a investir em ações? Para isso, você precisa contar com uma boa corretora de valores. Esse tipo de instituição é especializada em investimentos e fornece a plataforma que você precisa para investir em ações, chamada de home broker.

Para escolher a melhor corretora de valores, é preciso avaliar a segurança, as taxas, o atendimento, o portfólio de investimentos, a experiência na plataforma, entre outros fatores.

Para ajudar você nessa escolha, indicamos aqui a avaliação da Proteste , que analisou o home broker das principais corretoras do Brasil. Todas elas são online e têm taxa zero para abertura, investimentos em renda fixa e custódia para renda variável. Confira quais são as três melhores de acordo com a pesquisa:

XP Investimentos

A XP Investimentos ficou em 1º lugar no ranking, com nota máxima na experiência do investidor. A XP é a maior corretora independente do Brasil e tem mais de 900 mil clientes. Oferece uma gama enorme de investimentos e uma assessoria que pode ajudar nas suas aplicações, sem custos extras.

Ativa

A Ativa Investimentos ficou em 2º lugar. A empresa tem mais de 35 anos no mercado financeiro e recentemente investiu nos serviços pela internet. Oferece um home broker completo e um dos mais amplos portfólios de investimentos.

Rico

A Rico Investimentos ficou em 3º lugar, mas foi eleita a “escolha certa” pela Proteste, devido ao seu desempenho em segurança, experiência do investidor e custos (um dos mais baixos). O home broker da Rico é um dos mais amigáveis do mercado, bom para iniciantes. A Rico foi comprada pela XP em 2016 e hoje tem mais de 300 mil clientes.

Analise Técnica Bitcoin: como funciona a análise técnica de criptomoedas

A análise técnica é uma das principais ferramentas para traders do mercado de ações. Porém, ela também pode ser usada em outros mercados, como o de criptomoedas, que usam a tecnologia blockchain, especialmente bitcoins, que dominam o mercado.

Os conceitos, indicadores e gráficos que apresentamos neste artigo valem também para as criptomoedas. A grande diferença é que elas representam um comportamento mais volátil, ou seja, as moedas podem ter grandes variações, mesmo em um curto espaço de tempo.

Isso torna a análise técnica ainda mais desafiadora, mas também mais útil para antecipar os preços dos ativos de maneira rápida e segura.

Conclusão

Então, agora você já sabe o que é análise técnica e como dar os seus primeiros passos como trader na Bolsa.

Não esqueça que o mercado financeiro envolve uma série de riscos e, se não for encarado com conhecimento e dedicação, não vai trazer os resultados que você espera.

Por isso, comece com estudo. É importante lembrar também que não há uma profissão específica para se tornar um especialista em análise técnica. Se você é um desenvolvedor web, publicitário, engenheiro ou atua em qualquer outra profissão, tanto faz.

O que faz a diferença entre os traders com bons e maus resultados é o estudo. Por isso, procure cursos de análise técnica que indicamos ou acesse o nosso buscador online para mais opções.

Faz diferença também ler livros sobre o assunto e estar sempre informado sobre as notícias relacionadas à economia e aos negócios.

Descubra o seu perfil de investidor e se torne um trader que sabe o que está fazendo para evitar perdas e aumentar os ganhos. Assim você tem tudo para ser um investidor de sucesso.

FAQ

O que é análise técnica?

Análise técnica é uma das principais ferramentas do mercado financeiro. Ela é utilizada por investidores para acompanhar os preços dos ativos, identificar padrões e tendências de comportamento do mercado e tomar melhores decisões em seus investimentos.

O que é day trade?

Day trade é uma modalidade de negociação de ativos em que as ofertas são abertas e fechadas no mesmo dia. O day trader, que é o investidor com esse perfil, tem o objetivo de obter lucro com a oscilação de preço do ativo entre a abertura e o fechamento do mercado.

Qual é a diferença entre análise técnica e análise fundamentalista?

A análise técnica considera os comportamentos de oferta e demanda para prever o cenário do preço da ação em um futuro próximo. Já a análise fundamentalista estuda as informações das empresas da bolsa, em balanços e demonstrativos financeiros. A análise técnica é mais usada por traders que operam no curto prazo, enquanto a análise fundamentalista é mais usada visando o longo prazo.

Como fazer análise técnica de ações?

A análise técnica deve ser feita observando os gráficos de preços das ações que as corretoras oferecem. Existe uma variedade de conceitos, indicadores e tipos de gráficos que você deve dominar para fazer uma análise técnica segura e consistente. Portanto, o primeiro passo para fazer análise técnica de ações é estudar.

Como aprender análise técnica?

Conheça os cursos online de análise técnica, que explicam os conceitos básicos e um passo a passo para aprender a analisar os gráficos de ações. Além disso, leia os livros e manuais sobre análise técnica, que trazem dicas e orientações para os investidores iniciantes. Com tempo e experiência, você vai ganhar mais segurança nas operações.

Onde posso ler review de plataformas com cursos de análise técnica?

Neste texto indicamos alguns cursos da Udemy. Leia o review completo da plataforma com prós e contra.

Onde posso buscar mais cursos de análise técnica?

A Classpert possui um buscador online de cursos que permite o treinamento ideal para você. Acesse e encontre a melhor opção para o seu perfil.

Renan França
I am a journalist responsible for SEO and Content strategies at Classpert. I usually write about entrepreneurship, marketing, SEO, programming and e-learning platforms.